Virtualização na automação

A virtualização é um tema bastante comentado e que vem sendo bastante difundido no mundo de TI, com a aplicação em servidores e datacenters. Ganhos em espaço físico, subutilização, consumo de energia, gerenciamento, segurança e custos podem ser mensurados.

Primeiramente, o conceito básico da virtualização: separar aplicação e sistema operacional dos componentes físicos.

E no mundo de TA (Tecnologia de Automação), como aplicar este conceito e quais os vantagens da virtualização?

– Empresas que possuem vários sistemas de automação (sejam do mesmo fabricante ou de fabricantes diferentes) tem que conviver com diferentes softwares de programação/manutenção/controle, mais variadas versões. Muitos deles não coexistem no mesmo desktop ou notebook, ao instalar um geramos conflito em outro. Máquinas virtuais com os softwares e versões instaladas e configuradas para determinadas linhas ou processos resolve o problema de coexistência e incompatibilidade;
– Computadores corporativos normalmente possuem sistemas operacionais e interfaces customizadas e dedicadas as necessidades do negócio e estas muitas vezes bloqueiam a instalação de aplicativos da área de automação. A solução: virtualização!;
– Migrações de sistemas operacionais (exemplo: Windows XP para Windows 7, Windows NT para Server 2003 para Server 2008, etc.) forçam a reinstalação e reconfiguração dos softwares de automação e estes muitas vezes estão em versões não suportadas para os sistemas operacionais mais recentes;
– Atualização de Services Packs, download de patches de correção, etc., podem comprometer o funcionamento de softwares de automação;
– Sistemas de automação baseados em sistemas operacionais antigos e não mais suportados pela Microsoft e times de TI, como Windows 3.1, Vista, NT, 2000, etc., podem se manter vivos graças a virtualização. Já tentou instalar o Windows NT num PC fabricado no século 21?

Fale com o time de engenharia da Base Automação e virtualize!

Bookmark the permalink.

Comments are closed